You are currently viewing PROVA E GABARITO: Unifesp 2021

PROVA E GABARITO: Unifesp 2021

PROVA: Unifesp conhecimentos especificos 2021 = PDF DOWNLOAD

 

 

PROVA OBJETIVA: Unifesp 2021 = PDF DOWNLOAD

 

 

GABARITO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

           
      VESTIBULAR 2021

Área de Biológicas e Exatas

   
    002. PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS    
             

 

  • Confira seus dados impressos neste
  • Nesta prova, utilize caneta de tinta preta.
  • Assine apenas no local Será atribuída nota zero à questão que apresentar nome, rubrica, assinatura, sinal, iniciais ou marcas que permitam a identificação do candidato.
  • Esta prova contém 20 questões
  • A resolução e a resposta de cada questão devem ser apresentadas no espaço Não serão consideradas respostas sem as suas resoluções, nem as apresentadas fora do local indicado.
  • Encontram-se neste caderno formulários, que poderão ser úteis para a resolução de questões.
  • Esta prova terá duração total de 4h e o candidato somente poderá sair do prédio depois de transcorridas 2h, contadas a partir do início da
  • Os últimos três candidatos deverão se retirar juntos da
  • Ao final da prova, antes de sair da sala, entregue ao fiscal o Caderno de Questões.

 

 

    RG                                                     

     Inscrição                                     

     Prédio                 

 

 

 

 

 

 

Assinatura do  candidato

 

 

 

 

 

 

Algumas amebas podem causar doenças ao ser humano. A Entamoeba histolytica geralmente convive bem com nossa espécie, não causando disfunções orgânicas, mas, em determinadas condições, ela se torna patogênica e causa a amebíase, que pode provocar diarreia, anemia e até a morte.

(www.invivo.fiocruz.br. Adaptado.)

 

  1. Caso a ameba Entamoeba histolytica fosse inserida em um recipiente com água marinha, ela não Por que isso ocorre?
  2. Cite a fase do ciclo de vida da Entamoeba histolytica na qual ocorre o contágio do ser Explique por que pessoas com quadros mais graves de amebíase podem desenvolver anemia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A síndrome de Kartagener é um distúrbio genético que impede a síntese da proteína dineína, necessária à função dos microtúbulos. Sem a dineína, algumas estruturas celulares não se movimentam, como aquelas presentes nas vias respi- ratórias, nas paredes da tuba uterina e nos espermatozoides, causando prejuízos à eliminação de muco pelos brônquios e à fertilidade masculina e feminina.

  1. Cite as duas estruturas celulares, uma presente nas vias respiratórias e outra nos espermatozoides, que têm o mo- vimento prejudicado pela falta da dineína.
  2. Por que uma mulher portadora da síndrome de Kartagener tem maior chance de desenvolver uma gravidez na tuba uterina? Explique como a medicina reprodutiva pode fazer com que um homem com essa síndrome seja

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao longo da diferenciação de uma hemácia a partir do eritroblasto, a célula sintetiza hemoglobinas, perde seu núcleo e organelas e migra para a corrente sanguínea. No citoplasma de uma hemácia humana adulta existem cerca de 250 milhões de moléculas de hemoglobina.

  1. Cite a organela responsável pela produção de hemoglobina no eritroblasto. Em que local do corpo humano adulto são produzidos os eritroblastos?
  2. Suponha um experimento em que uma hemácia adulta foi colocada em um tubo de ensaio e mantida fechada em contato com certo volume de gás oxigênio. O volume de gás oxigênio foi monitorado, visando verificar o consumo desse gás na síntese de Considere o gráfico, que ilustra três possíveis variações no consumo de gás oxigênio durante o experimento.

 

 

Qual curva do gráfico representa o consumo de gás oxigênio utilizado no processo metabólico realizado pela hemá- cia adulta para sintetizar ATP? Justifique sua resposta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O incêndio no Pantanal está devastando a fazenda São Francisco do Perigara, santuário que concentra 15% da população livre da espécie de arara-azul Anodorhynchus hyacinthinus, ameaçada de extinção. A propriedade já perdeu 70% dos cerca de 25 mil hectares, quase tudo vegetação nativa. O motivo da concentração de araras na fazenda era a associação entre esses animais, o acuri (Attalea phalerata, tipo de palmeira que produz frutos com polpa) e os bois. Antes das queimadas era comum ver as araras perto dos bois para se alimentar. O gado vai para a mata, come a polpa do acuri e deixa o fruto disperso no chão, que é comido pelas araras-azuis.

O incêndio está provocando um impacto enorme sobre a flora e a fauna do Pantanal e poderá comprometer a fertili- dade do solo, com prejuízo à produção agrícola local e à produção das plantas forrageiras que alimentam o gado.

(Folha de S.Paulo, 17.08.2020. Adaptado.)

 

  1. Cite a relação ecológica que ocorre entre o gado e as araras-azuis. Na teia alimentar da qual essas espécies fazem parte, qual é o nível trófico ocupado pelas araras-azuis?
  2. O fogo interrompe drasticamente quase todas as etapas do ciclo do nitrogênio e, consequentemente, reduz a produ- ção agrícola. Explique como o fogo interrompe as etapas do ciclo do nitrogênio e qual a relação disso com a baixa produção agrícola.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Analise o heredograma no qual estão indicados os tipos sanguíneos do casal Gustavo e Talita e de sua filha Aline, de acordo com os sistemas ABO e Rh.

Aline

 

  1. A presença ou não dos tipos de aglutinogênios nas hemácias, que são determinados geneticamente, permite identi- ficar os grupos sanguíneos para o sistema ABO e Rh. Indique o genótipo da irmã de Talita quanto ao sistema ABO. Qual característica fenotípica impede Talita de gerar um filho com eritroblastose fetal?
  2. Suponha que Aline necessite de uma transfusão de sangue e que seu pai, sua mãe e a avó materna tenham se prontificado a doar sangue a ela. Se a transfusão fosse realizada, o sangue recebido de qual dessas três pessoas doadoras teria suas hemácias aglutinadas de imediato? Justifique sua

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O potássio é um nutriente mineral essencial no metabolismo dos seres vivos e elemento químico básico na composi- ção de fertilizantes do tipo NPK — mistura de compostos à base de nitrogênio, fósforo e potássio. A silvita (KC𝑙), um dos minérios de potássio, é importante fonte de matéria-prima para a produção de fertilizantes, porque possui a maior

porcentagem de potássio em uma forma química de fácil extração. Convencionalmente, a porcentagem em massa de potássio em fertilizantes é expressa como “K2O equivalente”, mesmo que o composto presente seja o KC𝑙, exigindo que sejam feitos cálculos que relacionem as massas de potássio no K2O e no KC𝑙.

A tabela fornece teores equivalentes de K, KC𝑙 e K2O na silvita.

 

Elemento/composto K KC𝑙 K2O
Teor equivalente (% em massa) 52 100 63

(http://mineralis.cetem.gov.br. Adaptado.)

 

  1. Qual tipo de ligação química está presente na silvita? Escreva a distribuição eletrônica em camadas do elemento potássio na forma em que se apresenta na
  2. Demonstre que 100% de KC𝑙 correspondem, aproximadamente, às porcentagens em massa de K e de K2O infor- madas na

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O irídio é um metal muito denso, que possui diversas aplicações, como em contatos elétricos, em agulhas de injeção e em próteses odontológicas.

Esse elemento apresenta dois isótopos naturais, Ir-191 e Ir-193, cujas abundâncias na natureza são, respectivamente, 37,3% e 62,7%. O irídio também apresenta diversos radioisótopos artificiais, sendo um deles o Ir-192, emissor de partí- culas b e radiação gama, que é empregado no tratamento de pacientes com câncer. A meia-vida desse radioisótopo é de 74 dias, aproximadamente.

  1. Calcule o número de nêutrons do isótopo natural mais abundante do irídio. Assim como os demais metais, o irídio é bom condutor de eletricidade devido a uma característica da estrutura metálica. Qual é essa característica?
  2. Escreva a equação que representa o decaimento do irídio-192. Construa, utilizando os eixos gráficos disponíveis no campo de Resolução e Resposta, a curva que representa o decaimento radioativo do Ir-192.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Analise as seguintes informações nutricionais contidas no rótulo de um refrigerante.

 

Valores nutricionais em 350 mL (1 lata)
Valor energético 613 kJ
Açúcares 36 g
Sódio 27 mg

 

  1. Represente a forma química em que o elemento sódio está presente no refrigerante. Calcule a concentração de sódio na bebida em mol/L.
  2. Sabendo que o calor específico da água é 4,18 kJ × kg1 × ºC1, estime a massa de água que pode ser aquecida de 20 ºC a 50 ºC com a energia térmica correspondente ao valor energético de 350 mL desse Consideran- do que o único açúcar presente no refrigerante seja o açúcar comum (sacarose, C12H22O11) e que o valor energético desse refrigerante seja devido apenas a esse carboidrato, estime, a partir dos dados da tabela, qual é a entalpia de combustão completa desse açúcar em kJ/mol.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dos métodos para análise quantitativa de íons cálcio em uma solução aquosa envolve as seguintes etapas:

 

  1. Precipitação de íons cálcio por reação com íons oxalato em excesso, de acordo com a equação:

 

2    4                                        2   4

Ca2+ (aq) + C O 2 (aq)            CaC O (s)

 

  1. Filtração do precipitado formado seguida de

 

  1. Reação do precipitado formado com ácido sulfúrico, produzindo ácido oxálico:

 

CaC2O4 (s) + H2SO4 (aq)           composto X + H2C2O4 (aq)

  1. Titulação do ácido oxálico com KMnO4 em meio ácido, de acordo com a equação parcialmente balanceada:

2KMnO4 (aq) + 3H2SO4 (aq) +     H2C2O4 (aq)                K2SO4 (aq) +     MnSO4 (aq) +     CO2 (g) +     H2O (𝑙)

 

  1. Escreva a expressão do Kps (constante do produto de solubilidade) para o oxalato de cálcio. Escreva o nome do produto da etapa 3 identificado como composto X.
  2. Reescreva a equação da etapa 4 completando o Sabendo que o volume molar de gás nas CATP é igual a 25 L/mol, calcule o volume de CO2, medido nessas condições, que é obtido pela reação completa de 0,01 mol de permanganato de potássio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A sequência de reações representada no esquema resume etapas de um dos processos de obtenção de ácido L-ascórbico (vitamina C) a partir da glicose.

 

 

(Fernanda A. D. Ito e Iara L. R. Gonçalves. Método para a produção de ácido 2-ceto-L-gulônico. Adaptado.)

 

  1. Dê o nome da substância que possui um grupo funcional éster. Quais substâncias, entre as representadas no esque- ma, são isômeras entre si?
  2. Dê o nome do composto que sofre redução na sequência de reações. Indique, na fórmula do ácido L-ascórbico pre- sente no campo de Resolução e Resposta, os dois átomos de carbono assimétrico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um gato encontra-se parado na beirada de um telhado, observando alguns pássaros.

A beirada do telhado está a 5 m do chão, a massa do gato é 3 kg, a aceleração da gravidade vale 10 m/s2 e a resistência do ar é desprezível. Determine:

  1. a energia potencial gravitacional que o gato possui quando se encontra em repouso na beirada do telhado e o módulo da velocidade com a qual ele chegaria ao chão se acidentalmente sofresse uma queda livre, após pisar em uma telha solta.
  2. o tempo de permanência do gato no ar, supondo que, na tentativa frustrada de apanhar um pássaro em voo, o gato salte verticalmente para cima com velocidade inicial de 4 m/s, subindo e voltando para o ponto inicial de seu salto, na beirada do

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um reboque com uma lancha, de massa total 500 kg, é engatado a um jipe, de massa 2 000 kg, sobre um terreno plano e horizontal, como representado na figura 1.

FiGura 1

Em seguida, o motorista aciona o motor do jipe, que passa a aplicar uma força constante sobre o conjunto jipe-reboque-

-lancha, acelerando-o sobre o terreno plano.

  1. Sabendo que a força aplicada pelo motor do jipe ao conjunto jipe-reboque-lancha tem intensidade 5 000 N, e despre- zando eventuais atritos em engrenagens e eixos, determine a intensidade da força de tração no ponto de engate do reboque ao jipe, considerando o momento em que o jipe inicia seu movimento.
  2. Preparando-se para levar a lancha à água, o motorista estaciona o conjunto jipe-reboque-lancha em posição de mar- cha à ré sobre uma rampa plana e inclinada de um ângulo q em relação à horizontal, conforme figura

FiGura 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desenhe, na figura presente no campo de Resolução e Resposta, os vetores que representam as forças que atuam sobre o conjunto jipe-reboque-lancha estacionado na rampa, nomeando cada uma dessas forças e considerando o conjunto como um corpo único. Em seguida, determine a intensidade da força de atrito que mantém o conjunto em repouso. Utilize g = 10 m/s2, sen q = 0,6 ou cos q = 0,8.

 

Analise o diagrama que representa o ciclo de transformações sofridas por um gás ideal em uma máquina térmica.

 

Sabe-se que no ponto C a temperatura do gás é de 800 K.

  1. Qual é a temperatura do gás no ponto A, em graus Celsius?
  2. Qual será a variação da energia interna do gás ao longo do ciclo completo A ® B ® C ® A? Calcule o valor absoluto do trabalho realizado na compressão do gás.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Três blocos em formato de paralelepípedo retângulo, numerados de 1 a 3, são empilhados conforme mostra a figura. Os blocos são feitos de substâncias transparentes, de índices de refração absolutos n1, n2 e n3, respectivamente. A figura mostra uma visão lateral desse empilhamento, uma malha quadriculada para referência e a trajetória de um raio de luz monocromática que segue paralela ao plano das faces exibidas.

 

                     
                     
                     
                     
                     
                     
                     
                     
                     
                     
  1. Sabendo que o índice de refração absoluto do meio 1 vale 1,5 e que a velocidade de propagação da luz no vácuo é c = 3 ´ 108 m/s, determine a velocidade da luz no meio 1 e o índice de refração do meio
  2. Observando o comportamento do raio de luz que, a partir do meio 2, dirige-se ao meio 3, responda se o meio 3 é mais refringente ou menos refringente que o meio 2 e, em seguida, determine o valor do índice de refração relativo

n

do meio 3 em relação ao meio 2, 3 .

n2

 

 

 

 

 

 

 

Os terminais A e B de uma espira circular estão conectados a um circuito elétrico capaz de fornecer dois valores dis- tintos de corrente elétrica. Os resistores do circuito são ôhmicos, e o gerador, os fios de ligação, o amperímetro e a chave são ideais. A figura mostra a montagem desse circuito, com a chave aberta.

 

 

Quando a chave é mantida aberta, o amperímetro indica a passagem de uma corrente elétrica de 6 A.

  1. Determine a diferença de potencial U do gerador e, em seguida, a intensidade da corrente elétrica que passa pelo amperímetro quando a chave está
  2. A espira tem diâmetro de 4 ´ 10 2 m e a permeabilidade magnética do meio que a envolve vale 1,2 ´ 10 6 T × m/A. Para a circunstância em que a chave está aberta, indique, na figura presente no campo de Resolução e Resposta, a direção e o sentido do vetor campo magnético no centro da espira AB e calcule a intensidade desse campo mag- nético no centro dessa

 

 

 

 

 

 

 

Aprovado pela Anvisa, capacete reduz internações em UTI por covid-19 em 60%

Criado no início de abril como alternativa de tratamento de pacientes com covid-19, um capacete especial pode dimi- nuir as mortes em decorrência da doença no Brasil. De acordo com os testes clínicos, o Elmo, criado no Ceará, reduz em 60% a necessidade de internação na UTI de pacientes com covid-19. O projeto já foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o que permite a comercialização e produção do Elmo em escala industrial.

(Daniel Rocha. https://noticias.uol.com.br, 07.11.2020. Adaptado.)

Estimativa de custos operacionais dos leitos de UTI adulto em consequência da covid-19

Uma pergunta que tem preocupado os gestores da rede hospitalar brasileira é quanto custará o tratamento da covid-19, em especial dos leitos de UTI adulto. Um estudo com 106 hospitais estimou os seguintes valores:

 

Perfil do hospital Quantidade de hospitais Custo médio de diária em uma UTI adulto
Filantrópico 35 R$ 1.500,00
Organização social de saúde 57 R$ 1.934,00
Público de administração direta 6 R$ 3.442,00
Privado 8 R$ 2.840,00

(www.drgbrasil.com.br, 13.05.2020. Adaptado.)

  1. Calcule a média ponderada do custo da diária em uma UTI adulto dos hospitais públicos de administração direta e dos hospitais privados, de acordo com dados da
  2. Um hospital filantrópico que atende apenas pacientes adultos pretende utilizar o Elmo no tratamento da covid-19 e, com isso, projeta reduzir seu número médio de internações devido à covid-19 em UTI adulta para 28 Segundo dados desse hospital, pacientes internados com covid-19 que não vão para a UTI adulta se recuperam e têm alta hospitalar em 7 dias, em média, ao custo médio diário de R$ 900,00, enquanto que pacientes com covid-19 destinados à UTI adulta se recuperam e têm alta hospitalar, em média, em 18 dias. Determine qual é o número médio de internações devido à covid-19 nesse hospital e quanto o hospital economizará, em reais, com a adoção do Elmo para esse grupo de pacientes.

 

 

 

 

 

 

Em um plano cartesiano de origem A = (0, 0) foram desenhados os quadrados ABCD, DEFG e HIJD. Sabe-se que

B = (0, 5), G = (8, 0), H pertence ao eixo das abscissas, J está na intersecção de                                                                                                                                                      com                                                                                                                                                      e l é uma circunferência que passa por B, C e G, como mostra a figura.

 

 

  1. Determine as áreas dos triângulos CEF e JIB, em unidades de área do plano
  2. Determine as coordenadas do centro de l e seu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A figura indica uma sequência de polígonos regulares com número n par de lados, cada um medindo 2 cm. Cada polígono tem um lado sobre a reta r e o lado oposto sobre uma reta paralela a r. Estas retas paralelas a r estão indicadas por t1, t2, t3,….

 

 

 

 

  1. Calcule a distância entre as retas t1 e t2.
  2. Mantendo-se o padrão da sequência, calcule a distância entre as retas t23 e t24 em função de letras convenientemen- te selecionadas da

 

a 3,5º 3,55º 3,6º 3,65º 3,7º 3,75º 3,8º 3,85º
sen a a b c d e f g h
cos a i j l m n o p q
tg a r s t u v x y z

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um gato tem cerca de 100 vezes a massa de um rato, porém, sua taxa metabólica é, aproximadamente, 31 vezes a de um rato. Observações experimentais permitiram que, em 1932, Max Kleiber formulasse empiricamente uma lei relacionando a taxa metabólica basal B de um animal, em quilocalorias por dia (kcal por dia), e sua massa M, em

 

quilogramas (kg). Tal lei é dada pela fórmula                 , sendo k uma constante real.

 

  1. Determine o valor de k, sabendo que a lei de Kleiber se aplica a um animal de massa igual a 16 kg e taxa metabólica basal de 600 kcal por
  2. Considere que a lei de Kleiber se aplique para um animal pequeno P e para um animal grande G, com a mesma constante real Sabendo que a massa de G, em kg, é 106 vezes a massa de P, calcule a razão entre as taxas

metabólicas basais de G e de P, ou seja,      , utilizando os dados da tabela no cálculo final.

 

 

x 0,5 0,5625 0,75 4,5 5 10 10,25 10,75 31,623
  0,7071 0,75 0,8660 2,1213 2,2361 3,1623 3,2016 3,2787 5,6234

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma caixa possui n cartas, numeradas de 1 até n. Desta caixa são sorteadas, ao acaso, m cartas.

  1. Para n = 10 e m = 6, qual é a probabilidade de que entre as cartas sorteadas tenha saído uma com o número 1?
  2. Estabeleça uma fórmula que calcule a probabilidade de que, entre as m cartas sorteadas do total de n cartas, tenham saído k cartas pré-estabelecidas, com k variando de 1 até Apresente sua fórmula com notação de fatorial, simpli- ficada ao máximo, e com o domínio de validade de n, m e k.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FORMULÁRIO DE FÍSICA

 

 

s = s0 + v · t

s = s + v ·t + 1 a·t2

s: posição t: tempo

qC = 5

qF – 32

9

q: temperatura

T: temperatura absoluta

 

0         0         2

Ds vm = Dt

v = v0 + a·t

v2 = v02 + 2·a·Ds

vm : velocidade média v: velocidade

a: aceleração

w: velocidade angular R: raio

f: frequência

qC =T– 273

Q = m·c·Dq Q = m·L

P = Q

Q: quantidade de calor m: massa

c: calor específico

L: calor latente específico p: pressão

V: volume

 

v = w·R

1

w = 2·p·f

f = —

T: período

D : deslocamento angular ac : aceleração centrípeta

ot      Dt

p1·V1 = T1

 

p2·V2 T2

n: número de mols

R: constante dos gases perfeitos

 

T

v2                         ac = w2·R = R

FR = m·a fat = m·N

FR: força resultante m: massa

fat : força de atrito

m: coeficiente de atrito

N: força normal

p·V = n·R·T

t = p·DV

DU = Q – t

Q

t: trabalho

U: energia interna

h: rendimento

 

fel = k·x

fel

: força elástica

h = 1 –    fria      

Qquente

 

t = F·d·cos q

R

tF = DEc

k: constante elástica x: elongação

t: trabalho

 

P= t

Dt

P= F · v

d: deslocamento F: força

q

Eel = k· 2

Eel: campo elétrico

 

Ec =

m·v2 2

P: potência

Ec : energia cinética

d

Fel = Eel·q

k: constante eletrostática q: carga elétrica

 

EP = m·g·h E     = k·x2

Pel          2

F

I = F·Dt I = DQ

R

Q = m·v

M = F·d’ p = F

A

p = dI·g·h

Emp = dI·g·V

d = m

EP : energia potencial gravitacional

g: aceleração da gravidade h: altura

Epel : energia potencial elástica I: impulso

Q: quantidade de movimento M: momento

d’: distância p: pressão A: área

dl : densidade Emp : empuxo

V: volume

q V = k·d

EPe = V·q

t = q·(VA – VB)

Dq i = Dt

L

R = r·

S

U = R·i P= U·i

U = E – r·i

m·i

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

N·m·i

d: distância

Fel: força elétrica

V: potencial elétrico Epe: energia potencial

elétrica

t: trabalho

i: corrente elétrica t: tempo

R, ri: resistência elétrica

r: resistividade elétrica

L: comprimento

S: área da secção reta U: diferença de potencial P: potência elétrica

 

I      V                              F : força gravitacional                                                         

E: força eletromotriz

 

m1 · m2                         g

 

B = 2·p·r ;

B = 2·R

E : força eletromotriz

 

Fg = G

d’ 2

G: constante gravitacional

n: índice de refração

m·i

N·m·i

i

induzida

 

T2 = constante

c: velocidade da luz no vácuo

B = 2·R

; B =   L

B: campo magnético

 

R3

n = c v

ni·sen i = nr·sen r sen L= nmenor

nmaior

v: velocidade

i: ângulo de incidência r: ângulo de refração

L: ângulo limite C: vergência

f: distância focal

p: abscissa do objeto

Fmag = q·v·B·sen q

Fmag = B·i·L·sen q

f = B·A·cos a

E = – Df

i        Dt

Fmag: força magnética

N: número de espiras

m: permeabilidade magnética

r: raio

v: velocidade

f: fluxo magnético

 

C = 1

= 1 + 1

 

p’: abscissa da imagem

 

f      p   p’

A=

Y’ –p’

Y = p

v = l·f

A: aumento linear transversal Y: tamanho do objeto

Y’: tamanho da imagem

l: comprimento de onda f: frequência

 

FORMULÁRIO DE MATEMÁTICA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os rascunhos não serão considerados na correção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NÃO ASSINE ESTA FOLHA

 

Os rascunhos não serão considerados na correção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NÃO ASSINE ESTA FOLHA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

221344

 

 

 

 

 

 

 

           
      VESTIBULAR 2021    
    001. PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA, LÍNGUA INGLESA E REDAÇÃO    
             

 

  • Confira seus dados impressos neste
  • Assine com caneta de tinta preta a Folha de Respostas apenas no local
  • Esta prova contém 25 questões objetivas e uma proposta de redação.
  • Para cada questão, o candidato deverá assinalar apenas uma alternativa na Folha de Respostas, utilizando caneta de tinta
  • Esta prova terá duração total de 4h e o candidato somente poderá sair do prédio depois de transcorridas 2h, contadas a partir do início da
  • Os últimos três candidatos deverão se retirar juntos da
  • Ao final da prova, antes de sair da sala, entregue ao fiscal a Folha de Respostas, a Folha de Redação e o Caderno de Questões.

 

 

 

     RG                                                      

     Inscrição                                     

     Prédio                 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Examine o cartum de Caitlin Cass, publicado no Instagram da revista The New Yorker em 10.03.2019.

“You said you’d be home at half a candle.”

Depreende-se do cartum que a moça

 

  • saiu escondida, deixando uma vela acesa no quarto para fingir que estava

 

  • chegou tarde em casa, descumprindo o horário que havia combinado com a mãe.

 

  • voltou para casa, pois havia esquecido a vela do seu quarto

 

  • pretendia sair de casa sem levar uma vela, desrespeitan- do a recomendação da mãe.

 

  • disse à mãe que ia sair só para comprar lâmpadas, mas acabou voltando para casa sem elas.

 

 

Leia o conto de Carlos Drummond de Andrade para responder às questões de 02 a 06.

 

O entendimento dos contos

  • Agora você vai me contar uma história de amor — dis- se o rapaz à moça. — Quero ouvir uma história de amor em que entrem caravelas, pedras preciosas e satélites
  • Pois não — respondeu a moça, que acabara de con- cluir o mestrado de contador de histórias, e estava com a imaginação na ponta da língua. — Era uma vez um país onde só havia água, eram águas e mais águas, e o governo como tudo mais se fazia em embarcações atracadas ou em movi- mento, conforme o tempo. Osmundo mantinha uma grande indústria de barcos, mas não era feliz, porque Sertória, objeto dos seus sonhos, se recusava a casar com ele. Osmundo ofereceu-lhe um belo navio embandeirado, que ela recusou. Só aceitaria uma frota de dez caravelas, para si e para seus

Ora, ninguém sabia fazer caravelas, era um tipo de embarcação há muito fora de uso. Osmundo apresentou um mau produto, que Sertória não aceitou, enumerando os defeitos, a começar pelas velas latinas, que de latinas não tinham um centavo. Osmundo, desesperado, pensou em afogar-se, o que fez sem êxito, pois desceu no fundo das águas e lá encontrou um cofre cheio de esmeraldas, to- pázios, rubis, diamantes e o mais que você imagina. Voltou à tona para oferecê-lo à rígida Sertória, que virou o rosto.

Nada a fazer, pensou Osmundo; vou transformar-me em sa- télite artificial. Mas os satélites artificiais ainda não tinham

sido inventados. Continuou humilde satélite de Sertória, que ultimamente passeava de uma lancha para outra, levando-o preso a um cordão de seda, com a inscrição “Amor imortal”. Acabou.

  • Mas que significa isso? — perguntou o moço, insa- — Não entendi nada.
  • Nem eu — respondeu a moça —, mas os contos devem ser contados, e não entendidos; exatamente como a

(Contos plausíveis, 2012.)

 

No texto, a moça

 

  • finge não entender o próprio conto para perturbar o

 

  • sugere que a vida, como a maioria dos contos, dificil- mente termina

 

  • sugere que dificilmente o sentido da vida possa caber em um

 

  • acredita que a vida precisa ser decifrada, como a maioria dos

 

  • acredita que os contos, como a vida, prescindem de explicação.

 

Em sua história, a moça incorre em contradição ao tratar

 

  • das

 

  • da recusa de Sertória em se

 

  • da tentativa de suicídio de

 

  • dos satélites

 

  • das pedras

 

O título do conto antecipa seu caráter

 

  • melancólico.

 

  • fantástico.

 

  • ambíguo.

 

  • satírico.

 

  • metalinguístico.

 

 

Observa-se o emprego de expressão própria da linguagem coloquial no trecho

  • “Só aceitaria uma frota de dez caravelas, para si e para seus familiares” (2o parágrafo).
  • “Sertória não aceitou, enumerando os defeitos, a come- çar pelas velas latinas, que de latinas não tinham um cen- tavo” (3o parágrafo).
  • “Era uma vez um país onde só havia água, eram águas e mais águas” (2o parágrafo).
  • “Osmundo mantinha uma grande indústria de barcos, mas não era feliz, porque Sertória, objeto dos seus so- nhos, se recusava a casar com ele” (2o parágrafo).
  • “Osmundo, desesperado, pensou em afogar-se, o que fez sem êxito” (3o parágrafo).

 

 

“— Agora você vai me contar uma história de amor — disse o rapaz à moça. — Quero ouvir uma história de amor em que entrem caravelas, pedras preciosas e satélites artificiais.” (1o parágrafo)

Ao se transpor esse trecho para o discurso indireto, os ter- mos sublinhados assumem, respectivamente, as seguintes formas:

  • “quis” e “entravam”.
  • “queria” e “entravam”.
  • “quis” e “entrassem”.
  • “queria” e “entrassem”.
  • “quisera” e “entraram”.

 

 

Para responder às questões de 07 a 10, leia o trecho do livro

O oráculo da noite, do neurocientista Sidarta Ribeiro.

 

A palavra sonho, do latim somnium, significa muitas coi- sas diferentes, todas vivenciadas durante a vigília, e não durante o sono. Realizei “o sonho da minha vida”, “meu so- nho de consumo” são frases usadas cotidianamente pelas pessoas para dizer que pretendem ou conseguiram alcançar algo. Todo mundo tem um sonho, no sentido de plano futuro. Todo mundo deseja algo que não tem. Por que será que o sonho, fenômeno normalmente noturno que tanto pode evo- car o prazer quanto o medo, é justamente a palavra usada para designar tudo aquilo que se quer ter?

O repertório publicitário contemporâneo não tem dúvidas de que o sonho é a força motriz de nossos comportamentos. Desejo é o sinônimo mais preciso da palavra “sonho”. […] Na área de desembarque de um aeroporto nos Estados Unidos, uma foto enorme de um casal belo e sorridente, velejando num mar caribenho em dia ensolarado, sob a frase enigmá- tica: “Aonde seus sonhos o levarão?”, embaixo o logotipo da empresa de cartão de crédito. Deduz-se do anúncio que os sonhos são como veleiros, capazes de levar-nos a lugares idílicos, perfeitos, altamente… desejáveis. As equações “so- nho é igual a desejo que é igual a dinheiro” têm como variável oculta a liberdade de ir, ser e principalmente ter, liberdade

que até os mais miseráveis podem experimentar no mundo de regras frouxas do sonho noturno, mas que no sonho diur- no é privilégio apenas dos detentores de um mágico cartão plástico.

A rotina do trabalho diário e a falta de tempo para dormir e sonhar, que acometem a maioria dos trabalhadores, são cruciais para o mal-estar da civilização contemporânea. É gri- tante o contraste entre a relevância motivacional do sonho e sua banalização no mundo industrial globalizado. […] A indús- tria da saúde do sono, um setor que cresce aceleradamente, tem valor estimado entre 30 bilhões e 40 bilhões de dólares. Mesmo assim a insônia impera. Se o tempo é sempre escas- so, se despertamos diariamente com o toque insistente do despertador, ainda sonolentos e já atrasados para cumprir compromissos que se renovam ao infinito, se tão poucos se lembram que sonham pela simples falta de oportunidade de contemplar a vida interior, quando a insônia grassa e o bocejo se impõe, chega-se a duvidar da sobrevivência do sonho.

E, no entanto, sonha-se. Sonha-se muito e a granel, sonha-se sofregamente apesar das luzes e dos ruídos da ci- dade, da incessante faina da vida e da tristeza das perspecti- vas. Dirá a formiga cética que quem sonha assim tão livre é o artista, cigarra de fábula que vive de brisa. […] Na peça teatral A vida é sonho, o espanhol Pedro Calderón de la Barca dra- matizou a liberdade de construir o próprio destino. O sonho é a imaginação sem freio nem controle, solta para temer, criar, perder e achar.

(O oráculo da noite: a história e a ciência do sonho, 2019.)

 

De acordo com o texto,

 

  • o mal-estar que acomete a civilização contemporânea está intimamente ligado à extinção do sonho no mundo
  • o entendimento da dinâmica do mundo industrial atual implica a compreensão de que a natureza dos sonhos também se transforma
  • a banalização do sonho mostra-se intimamente re- lacionada à dinâmica acelerada do mundo industrial contemporâneo.
  • o ritmo acelerado do mundo industrial contemporâneo impossibilita a contemplação da vida interior pela via do
  • a interrupção da dinâmica perversa do mundo globaliza- do implica o reconhecimento de que os sonhos acabaram por se tornar irrelevantes.

 

 

 

 

Mesmo assim a insônia impera.” (3o parágrafo)

No contexto em que se encontra, a expressão sublinhada exprime ideia de

 

  • condição.

 

  • oposição.

 

  • conclusão.

 

  • consequência.

 

 

 

A palavra sublinhada em “Se o tempo é sempre escasso, se despertamos diariamente” (3o parágrafo) pertence à mesma classe gramatical da palavra sublinhada em

  • “sonha-se sofregamente apesar das luzes e dos ruídos da cidade” (4o parágrafo).
  • se tão poucos se lembram que sonham” (3o parágrafo).
  • “quando a insônia grassa e o bocejo se impõe” (3o parágrafo).
  • “chega-se a duvidar da  sobrevivência   do   sonho” (3o parágrafo).
  • “compromissos que se renovam ao infinito” (3o parágrafo).

Examine o cartum de Quino.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Cada um no seu lugar, 2005.)

 

Contribui para o efeito de humor do cartum o recurso

  • à antítese.
  • ao
  • à personificação.
  • à hipérbole.
  • ao

 

 

Pode ser reescrito na voz passiva o seguinte trecho do texto:

 

  • “Pedro Calderón de la Barca dramatizou a liberdade de construir o próprio destino” (4o parágrafo).
  • “É gritante o contraste entre a relevância motivacional do sonho e sua banalização no mundo industrial globalizado” (3o parágrafo).
  • “O sonho é a imaginação sem freio nem controle, solta para temer, criar, perder e achar” (4o parágrafo).
  • “Mesmo assim a insônia impera” (3o parágrafo).
  • “Desejo é o sinônimo mais preciso da palavra ‘sonho’” (2o parágrafo).

 

Leia o poema de Fernando Pessoa para responder às ques- tões de 12 a 14.

 

Cruz na porta da tabacaria!

Quem morreu? O próprio Alves? Dou Ao diabo o bem-’star que trazia.

Desde ontem a cidade mudou.

Quem era? Ora, era quem eu via. Todos os dias o via. Estou

Agora sem essa monotonia. Desde ontem a cidade mudou.

Ele era o dono da tabacaria.

Um ponto de referência de quem sou. Eu passava ali de noite e de dia.

Desde ontem a cidade mudou.

Meu coração tem pouca alegria,

E isto diz que é morte aquilo onde estou. Horror fechado da tabacaria!

Desde ontem a cidade mudou.

Mas ao menos a ele alguém o via, Ele era fixo, eu, o que vou,

Se morrer, não falto, e ninguém diria: Desde ontem a cidade mudou.

(Obra poética, 1997.)

Sempre que haja necessidade expressiva de reforço, de ênfase, pode o objeto direto vir repetido. Essa reiteração re- cebe o nome de objeto direto pleonástico.

(Adriano da Gama Kury. Novas lições de análise sintática, 1997. Adaptado.)

O eu lírico lança mão desse recurso expressivo no verso

  • “Todos os dias o Estou” (2a estrofe)
  • “E isto diz que é morte aquilo onde ” (4a estrofe)
  • “Ele era fixo, eu, o que vou,” (5a estrofe)
  • “Mas ao menos a ele alguém o via,” (5a estrofe)
  • “Ao diabo o bem-’star que ” (1a estrofe)

 

O eu lírico recorre a um sinal de pontuação para indicar a supressão de um verbo em

  • “Ao diabo o bem-’star que ” (1a estrofe)
  • “Todos os dias o Estou” (2a estrofe)
  • “Quem era? Ora, era quem eu ” (2a estrofe)
  • “Se morrer, não falto, e ninguém diria:” (5a estrofe)
  • “Ele era fixo, eu, o que vou,” (5a estrofe)

 

 

 

 

 

 

No poema, o eu lírico sente-se

  • desorientado e melancólico.
  • desamparado e
  • nostálgico e
  • perplexo e eufórico.
  • aliviado e

Este movimento surge como momento de negação pro- funda e revolucionária, porque visava a redefinir não só a ati- tude poética, mas o próprio lugar do homem no mundo e na sociedade. Concebe de maneira nova o papel do artista e o sentido da obra de arte, pretendendo liquidar a convenção universalista dos herdeiros de Grécia e Roma em benefício de um sentimento novo, embebido de inspirações locais, pro- curando o único em lugar do perene.

(Antonio Candido. Formação da literatura brasileira, 2013. Adaptado.)

O texto refere-se ao movimento

  • romântico.
  • árcade.

 

Leia o texto para responder às questões de 16 a 25.

 

 

Remember the good old days, when you could have a heated-yet-enjoyable debate with your friends about things that didn’t matter that much — times when you could be a true fan of the Manchester United soccer team when you didn’t come from the city of Manchester?

How things have changed.

Now disagreements feel deadly serious. Like when your colleague pronounces that wearing a face mask in public is a threat to his liberty. Or when you see that one of your friends has just tweeted that, actually, all lives matter. Before you know it, you’re feeling angry and forming harsh new judgments about your colleagues and friends. Let’s take a collective pause and breathe: there are some ways we can all try to have more civil disagreements in this febrile age of culture wars.

  1. ‘Coupling’ and ‘decoupling’

The first is to consider how inclined people are to ‘couple’ or ‘decouple’ topics involving wider political and social factors. Swedish data analyst John Nerst has used the terms to describe the contrasting ways in which people approach contentious issues. Those of us more inclined to ‘couple’ see them as inextricably related to a broader matrix of factors, whereas those more predisposed to ‘decouple’ prefer to consider an issue in isolation. To take a crude example, a decoupler might consider in isolation the question of whether a vaccine provides a degree of immunity to a virus; a coupler, by contrast, would immediately see the issue as inextricably entangled in a mesh of factors, such as pharmaceutical industry power and parental choice.

Most of us are deeply committed to our beliefs, especially concerning moral and social issues, such that when we’re presented with facts that contradict our beliefs, we often choose to dismiss those facts, rather than update our beliefs. A study at Arizona State University, U.S., analysed more

than 100,000 comments on a forum where users post their views on an issue and invite others to persuade them to change their mind. The researchers found that regardless of the kind of topic, people were more likely to change their mind when confronted with more evidence-based arguments. “Our work may suggest that while attitude change is hard-won, providing facts, statistics and citations for one’s arguments can convince people to change their minds,” they concluded.

  1. Just be nicer?

Finally, it’s easier said than done, but let’s all try to be more respectful of and attentive to each other’s positions. We should do this not just for virtuous reasons, but because the more we create that kind of a climate, the more open-minded and intellectually flexible we will all be inclined to be. And then hopefully, collectively, we can start having more constructive disagreements — even in our present very difficult times.

(Christian Jarrett. www.bbc.com, 14.10.2020. Adaptado.)

The first and second paragraphs mainly illustrate

  • the fact that life in the old days tended to be far easier and more amusing than it is in the current turbulent
  • the level of importance given, in the good old days, to debates about one’s favorite soccer team.
  • the ways in which rather unimportant divergences are handled today if compared to previous
  • the manner conflicts between friends can be dealt with, from an aggressive or a more easy-going
  • the contrasts between supporting a soccer team today, and in years past.

 

Os trechos “when your colleague pronounces that wearing a face mask in public is a threat to his liberty” e “when you see that one of your friends has just tweeted that, actually, all lives matter”, no terceiro parágrafo,

  • comparam comportamentos diversos frente a temas que são, por natureza, instigantes e contraditórios.
  • discutem os temas culturais que mais provocavam emba- tes no momento de publicação do
  • apresentam extremos de polarização que ultimamente têm gerado surpresa no autor do
  • exemplificam a facilidade com que diferenças de opinião têm-se transformado em discórdia
  • apontam para o perigo iminente de uma guerra cultural ou de uma convulsão social generalizada.

 

In the fragment from the third paragraph “when you see that one of your friends has just tweeted that, actually, all lives matter”, the underlined word can be replaced, with no change in meaning, by

  • in the present
  • most

 

 

 

 

The expression “Before you know it” (3rd paragraph) can be correctly interpreted as

  • before you are told about
  • as soon as you get to know it.
  • before you learn about
  • earlier than you realize
  • as long as you understand

The subtitle that most closely represents the content of the fifth and sixth paragraphs is:

  • Debating moral and social issues
  • The role of facts in disputes
  • Dealing with contradictory beliefs
  • Differences between facts and beliefs
  • Attaining attitude change

 

 

 

 

In the fragment from the fourth paragraph “Those of us

more inclined to ‘couple’ see them as inextricably related to a broader matrix of factors”, the underlined term refers most specifically to

  • contrasting
  • wider political and social
  • contentious

No trecho do último parágrafo “we will all be inclined to be”, o termo sublinhado indica uma

  • decisão.
  • sugestão.

 

 

 

 

 

No trecho do quarto parágrafo “whereas those more predisposed to ‘decouple’ prefer to consider an issue in isolation”, o termo sublinhado introduz

  • uma explicação.
  • um
  • um
  • uma condição.
  • uma consequência.

It is an explicit opinion by the author of the text:

  • “Decoupling” is better than “coupling” because more factors in a situation are
  • Wider political and social factors have a decisive role in personal
  • Respect and understanding is what can save us from all the difficulties we everyday
  • Life has changed to the worse, as people have become more and more rancorous.
  • People’s convictions tend to exert considerable influence on their appreciation of an

 

 

(pinterest.com)

A afirmação da figura que melhor dialoga com o conteúdo do último parágrafo do texto de Christian Jarrett é:

  • Listen to the other person so that you understand their point of
  • Remain calm and make sure to talk one at a
  • Come together with the person you are having conflict
  • Agree to come up with sensible solutions you both can
  • Brainstorm solutions to resolve your conflict

 

REDAÇÃO

 

 

TEXTO 1

 

As descobertas da genética nos apresentam a um só tempo uma promessa e um dilema. A promessa é que em breve se- remos capazes de tratar e prevenir uma série de doenças debilitantes. O dilema é que nosso recém-descoberto conhecimento genético também pode permitir a manipulação de nossa própria natureza – para melhorar nossos músculos, nossa memória e nosso humor; para escolher o sexo, a altura e outras características genéticas de nossos filhos; para melhorar nossas capa- cidades física e cognitiva; para nos tornar “melhores do que a encomenda”. A maioria das pessoas considera inquietantes ao menos algumas das formas de manipulação genética. Entretanto, não é fácil articular nosso mal-estar. Os termos familiares dos discursos moral e político tornam difícil afirmar o que há de errado na reengenharia da nossa natureza.

(Michael J. Sandel [filósofo, professor-visitante na Sorbonne]. Contra a perfeição: ética na era da engenharia genética, 2015.)

 

 

TEXTO 2

 

A seleção do sexo do bebê – sexagem – é uma das questões mais controvertidas a que nos expõe o desenvolvimento da biogenética. Divide opiniões e é enganoso pensar que as posições liberais estão do lado dos cientistas, ou ver as posições conservadoras como deriváveis da consciência religiosa. Mesmo os liberais apontam problemas quanto à técnica utilizada na sexagem, devido aos riscos de complicações, desequilíbrio na população de homens e mulheres, discriminação contra a mulher.

Há motivos também de ordem religiosa: a suspeita de que o ser humano, ao assumir o papel de Deus ou da natureza, não produzirá um mundo melhor. Há, certamente, na base da desconfiança, um medo em relação aos desdobramentos desse novo poder: se podemos escolher o sexo, podemos também pensar na liberdade de escolher outras características.

A questão é: até que ponto o poder técnico é também ético? Certamente não devemos condenar a técnica quando ela responde a uma finalidade eticamente defensável. Condena-se a técnica quando a motivação é um mero desejo ou capricho, mas não se condena quando há razões fortes como evitar doenças ou quando a fertilização in vitro é apontada como a única alternativa para a gravidez.

(João Batistiolle [professor de Bioética, PUC-SP]. “Bebês sob medida”. www.cremesp.org.br, 2005.)

 

 

 

 

 

 

Com base nos textos apresentados e em seus próprios conhecimentos, escreva um texto dissertativo-argumentativo, empre- gando a norma-padrão da língua portuguesa, sobre o tema:

 

 

 

A enGenharia Genética ameaça a diGnidade humana?

 

Os rascunhos não serão considerados na correção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NÃO ASSINE ESTA FOLHA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.